2

Um Dia - David Nicholls

Posted by Bruna Fernandes on 10:03 in
Título Original: One Day
Autor: David Nicholls



No dia 15 de julho de 1988, Emma Morley e Dexter Mayhew se conhecem na formatura. No dia seguinte, eles irão trilhar caminhos separados e levando vidas diferentes da que imaginaram, porém ao longo dos vinte anos que se seguem, flashes do relacionamento deles é narrado todo dia 15 de julho. E enquanto o significado deste dia vai sendo revelado, eles descobrem o verdadeiro sentido da vida e do amor.

“Foi um dia memorável, pois operou grandes mudanças em mim. Mas isso se dá com qualquer vida. Imagine um dia especial na sua vida e pense como teria sido seu percurso sem ele. Faça uma pausa, você que está lendo, e pense na grande corrente de ferro, de ouro, de espinhos ou flores que jamais o teria prendido não fosse o encadeamento do primeiro elo em um dia memorável.”
 (Capítulo 1)


Acho que já comentei aqui a relação de amor e ódio que tenho com o David Nicholls. Achei a sinopse um pouco confusa no primeiro momento mas ao longo do texto, vai ficando clara a intenção do autor que mescla brilhantemente o fator realidade com o romance despretencioso.

 A narrativa é perfeita, os personagens irritantemente reais e o romance inteiramente possível e cabível, mas David faz com que você crie um tipo de expectativa com relação ao destino de Em e Dex e depois desconstrói totalmente a idéia. Quem já leu David Nicholls sabe do que estou falando, eu li apenas este livro dele e ainda não decidi se é ou não o que eu esperava. O meu exemplar veio com a segunda capa (esta que ilustra o post), achei que ficou mais autêntica que a primeira. A Anne Hathaway é super Emma Morley, ilustrou bem.

 'Um Dia' é o tipo de livro para se ler sem apego aos romances convencionais e comerciais. São percalços da vida, realidades paralelas, frustrações, conquistas, aprendizados, tudo tão real que você quase se sente sentando á mesa com Emma Morley ou assistindo o programa de auditório de Dexter Mayhew.

Trechos engraçados e cotidianamente possíveis, descrições descompromissadas, como se um amigo estivesse narrando a história exatamente como ela aconteceu.

Ainda com os olhos fechados, ele exalou a fumaça pelo nariz. Sabia muito bem que estava sendo observado, porque enfiou a mão debaixo da axila, inflando os bíceps e os peitorais. De onde vinham aqueles músculos?

Recomendo para quem curte histórias realistas e surpreendentes, com uma narrativa leve e cômica.

— A propósito — murmurou ela, a boca colada na dele.
— O quê? — Sentiu a perna dela enlaçar a sua e puxá-lo mais para perto.
— Você precisa escovar os dentes.
— Eu não ligo se você não escovar.
— Mas está horrível — ela riu. — Sua boca está com gosto de vinho e cigarro.
— Tudo bem. A sua também está.




2 Comments


Sinceramente eu ligo muito para a opinião das pessoas e por isso ainda não quis ler esse livro. Ainda esta semana estive na casa da minha irmã e me deparei com esse livro, ela disse que não gostou muito e me contou o final kkk então decidi que não é o tipo de livro que está nas minhas prioridades.
Mas tua resenha, como sempre, foi muito bem escrita.
Beijos.


Gostei muito da sua resenha! Eu não li o livro porque vi o filme e não gostei :x aí nem tive vontade de ler..
Beijinhos

Ann
http://www.vinteepoucos.com.br/

Copyright © 2009 Faz de Conta All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive. Distribuído por Templates